Desde 2002

Seu Guia para Viajar, Trabalhar, Morar ou Estudar na Nova Zelândia

  Nova Zelândia

Home  Mapa do Site   Anunciar

  English
  Español
Nova Zelândia Cidades Estudar Turismo Trabalhar Onde ficar Vistos Diversos
Tópico: Cidades

 Ilha Norte

  Auckland
  Bay of Plenty
  Coromandel
  Eastland
  Hamilton
  Napier
  Northland
  Rotorua
  Taupo
  Tongariro N.P.
  Wellington
  Whakatane

 Ilha Sul

  Christchurch
  Dunedin
  Fiordland
  Glaciers
  Kaikoura
  Nelson & Picton
  Queenstown
  Wanaka

 

 

Link Patrocinado

Gisborne

Click for Gisborne, New Zealand Forecast

Gisborne fica na Baía da Pobreza, pois o intrépido Capitão Cook quando passou por lá encontrou muitos arrecifes que impediam a aproximação. Também a paisagem era mewia desolada, com menos vegetação, e num momento de profunda reflexão, resolveu batizá-la de Poverty Bay. Na verdade a enseada onde hoje fica Gisborne, é ampla e com bom calado para embarcações de grande porte, mas na época, como o Cook não era perfeito, o fato passou desapercebido. De pobreza a Baía não tem nada. É exuberante, com praias absolutamente fantásticas, e os arrecifes que antes atrapalhavam a navegação do nobre colonizador, são excelentes para pesca de linha e Surf, isso sem falar no mergulho, cujo resultado com certeza serão suculentas lagostas na panela. Mas como diz o velho ditado, quem tem Cook tem medo (ou algo parecido).

Gisborne é famosa por ser a primeira cidade no mundo a ver a luz do Sol (aquela coisa de linha de mudança de data, sabe como é...). Mas se o iluminado turista quiser mesmo ser o primeiro no mundo a ver o dia raiar, vai ter que subir os 1750 m. do MT.Hikurangi. Quanto mais alto o distendido turista for, mais chances de ser o primeiro a ver os primeiros raios solares, ou se for baixinho, levar uma escada montanha acima, pode garantir o privilégio. Gisborne conta com uns 44 mil habitantes incluindo a área rural, o centro é ajeitado, apesar de nada especial (foto). Culturalmente tem grande influência Maori, e conta com 3 Museus além de galerias de arte. A cidade tem toda infra-estrutura básica, como bons restaurantes, boates, pubs, piscinas naturais de água quente, supermercados, shoppings, e variedade de acomodações. Dois lugares interessantes e grátis, são conhecer o Capitão Cook em pessoa (foto no final), representado por sua imponente estátua na praia em frente a cidade, e no mesmo local, do outro lado da rua, umas pinturas num muro, expressam cenas da época da colonização. Mas o melhor de Gisborne, fica mesmo fora dela, nas imediações...

Nos arredores de Gisborne, o ponto alto são as praias. Basta seguir para o Norte, que elas aparecem numa sequência de enseadas de águas transparentes. No verão, a população comparece em massa para aproveitar a temperatura gostosa da água do mar. No Inverno, as praias ficam praticamente desertas, somente com a presença dos Surfistas que aproveitam o melhor período de ondulações no ano. Nessa época, as águas ficam bem frias e quando venta é torturante, mas nada que uma boa roupa de borracha não dê jeito. Numa extensão de 8 km ao Norte de Gisborne, o intrépido Surfista irá encontrar um verdadeiro playground para a prática do esporte. Wainui Beach e Makorori Beach são as melhores, com ondas para todos os níveis surfísticos, e points tanto para a direita quanto esquerda. Para o Sul, depois de 80 Km de estrada, está Mahia. Essa praia é considerada uma das mais consistentes, recebendo ondas de várias direções e com todos os tipos de Surf. Os amantes da natureza irão se deliciar com caminhadas ao ar livre, pois a região é montanhosa, proporcionando ótimas caminhadas na mata, que em alguns casos, vão dar em espetaculares cachoeiras ou em mirantes. O Te Urewera National Park, é considerado um dos 10 melhores trekkings na Nova Zelândia e possui um circuito de 50 km ao redor de um lago, que pode ser feito em 2 dias, acampando uma noite. 

 Quase toda a área rural ao redor de Gisborne está ocupada com plantações de uva para a produção de vinhos, e não surpreende o fato de cerca de 30% de todos os vinhos produzidos na Nova Zelândia provirem dessa região em conjunto com Hawkes Bay. Mas não é só de uva que a região vive. Por causa do clima com muito sol e sem extremos, ela também produz muita maçã, e outras frutas e legumes em menor escala. Como ocorre em quase toda a Nova Zelândia, as peidorentas ovelhas estão presentes em toda a parte, e posso garantir que se houver gente com insônia na região, o problema não é falta de ovelhas para contar. Outras cidades pequenas para o sul como Wairoa, quanto para o Norte como Talaga Bay, possuem estrutura bastante básica, mas recompensadas com vistas e praias de tirar o fôlego. A estrada para essas localidades é muito bonita, e vai por dentro das montanhas com vista para o mar. Como tal, é cheia de curvas fechadas que sobem e descem sem parar, e portanto recomendamos fortemente não pegá-las após uma farta refeição, ou nem as ovelhas vão aguentar o cheiro.

Atrações Turísticas em Gisborne

Distâncias rodoviárias de Gisborne até:

Gisborne - Talaga Bay 54 km  45 min.
Gisborne - Wairoa 98 km 1 hora e 30 min.
Gisborne - Napier 215 km  3 horas e 25 min
Gisborne - Tauranga 301 km 5 horas
Gisborne - Rotorua 275 km 4 horas e 50 min
Gisborne - Auckland 505 km 8 horas e 20 min
Gisborne - Wellington 529 km 8 horas e 15 min.
 Gisborne - Centro Intrépido Cap. James Cook
Google Web Portal

 

 

 

 

 | Termos de uso Privacidade | Quem somos | Consultoria | Curriculum Vitae | Anunciar | Contatos |                                     

© Portal Oceania.com - Todos os direitos reservados - É vetada a reprodução de textos e fotos sem autorização.